DISPOSITIVOS INTRAUTERINOS(DIUs)

DISPOSITIVOS INTRAUTERINOS(DIUs)

Compartilhe:

Os Dispositivos Intrauterinos – DIUs - são classificados como métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARCs). Esses métodos são formas de proteção contra a gestação, com uma durabilidade aumentada que varia entre 5 ou 10 anos e que a qualquer momento pode ser retirado,, caso este seja o desejo da paciente.

Os DIUs, em específico, são dispositivos inseridos dentro da cavidade uterina (endometrial), por meio de um procedimento que pode ser realizado tanto no consultório, quanto no bloco cirúrgico, sob sedação.
As pacientes que optam por esse método contraceptivo devem estar cientes de que existem dois tipos de DIUs: os hormonais e os não hormonais. Só depois disso, poderão fazer sua escolha adequadamente.
O risco de engravidar com um DIU é extremamente baixo (0,1-0,3% ao ano), mas, assim como em qualquer método contraceptivo, ele existe.

DIUs Hormonais:

O DIU hormonal é o que contém Levonogestrel (Progesterona), melhor chamado de SIU (Sistema intrauterino) por conter hormônio. Sua ação acontece localmente, com o afinamento do Endométrio que é a parte interna do útero e alteração no muco cervical, uma secreção presente no colo uterino, isso, enquanto o DIU estiver inserido na cavidade uterina.
Hoje no mercado Brasileiro existem dois tipos de DIUs hormonais. A diferença entre eles consiste na quantidade de hormônio entre um e outro e no tamanho do dispositivo.
A duração dos DIUs hormonais é de 5 anos, podendo ser trocado por um novo, assim que chegar na validade.
Eles podem causar alguns efeitos colaterais por conta da influência hormonal, como acne, oleosidade da pele e cabelos, escape menstrual, porém, na grande maioria depois de passados alguns meses que variam de 3 a 6, esses sintomas melhoram e as pacientes ficam em amenorreia (sem sangramento menstrual nenhum), sendo esse o grande diferencial dele, e principal motivo de seu uso.

DIUs Não Hormonais:

Entre os DIUs não hormonais, contamos com o DIU de Cobre e o DIU de Cobre+Prata. A grande indicação deles é para aquelas pacientes que não podem ou não querem fazer uso de nenhum tipo de hormônio.
Ambos atuam na contracepção através de ações locais, como resposta inflamatória sobre o Endométrio, entre outras.
Em relação ao DIU de Cobre, o mesmo tem duração de 10 anos. Como efeito colateral ele pode causar, em algumas pacientes, aumento do fluxo menstrual e das cólicas menstruais.
O DIU de Cobre+Prata veio para tentar melhorar os efeitos colaterais do DIU apenas com Cobre. Esse DIU com os dois componentes tem duração de 5 anos e tem uma tendência a não influenciar tanto no fluxo menstrual e nas cólicas.
Lembrando que a paciente continua menstruando mensalmente com os DIUs não hormonais.
A retirada do DIU é um procedimento simples e rápido, que pode ser realizado em consultório médico. No mesmo dia já é possível ser inserido um novo DIU.
Após a retirada do DIU a paciente pode tentar engravidar normalmente. Recomenda-se aguardar apenas o primeiro ciclo menstrual normal.
Os DIUS também podem ser implantados imediatamente após o parto normal, parto cesariana, curetagem ou AMIU por abortamento.
Para escolha do melhor método contraceptivo é sempre importante uma conversa com seu Ginecologista. Exponha suas vontades, seus desejos e suas dúvidas.
Não existe o melhor método contraceptivo específico, existe o melhor método para cada paciente, por isso, essa decisão deve ser tomada em conjunto com seu Ginecologista.

 

Outros artigos