IMPLANTES HORMONAIS

IMPLANTES HORMONAIS

Compartilhe:

Apesar de não serem uma novidade, os implantes vem se tornando cada vez mais uma importante via de administração de alguns medicamentos.
Trata-se de ativos em forma de pequenos bastões e/ou pellets que contém hormônios na sua composição, cada qual com a sua finalidade.
Um deles é a GESTRINONA que é usada para tratamento de varias patologias ginecológicas como: Endometriose, Miomas, TPM Severa, Cólicas Menstruais, Sangramento Menstrual Excessivo, Cistos e Dores Mamárias. Ela é usada também no tratamento da reposição hormonal no climatério e menopausa, melhorando disposição, bem estar, melhora da libido, sono e humor. Muitos a chamam erroneamente como “Chip da Beleza”, pois ela tem efeitos na melhora da massa muscular e pele, melhorando o metabolismo e consequentemente com redução da gordura corporal. Mas não indicamos a GESTRINONA com esta finalidade. A GESTRINONA foi criada para tratar problemas ginecológicos hormônios-dependentes e não para fins estéticos.
Outros hormônios que são usados através de implante são: TESTOSTERONA e ESTRADIOL. Ambos são hormônios bioidenticos usados no tratamento do climatério e menopausa, melhorando os sintomas relacionados a esta fase como os fogachos (ondas de calor), diminuição da libido, insônia, cefaleia e ressecamento vaginal. Além disso conseguimos melhorar nesta fase a densidade óssea e o ganho de massa muscular.
Atualmente existem outros medicamentos em forma de implantes, como a OXANDROLONA, TADALAFIl, HIDROCORTISONA, ANASTRAZOL, NADH, OCITOCINA, PROGESTERONA e a METFORMINA.
Os implantes terapeuticos foram criados para otimizar as propriedades dos medicamentos tendo como vantagens: o aumento da biodisponibilidade, liberação controlada nos níveis plasmáticos (evitando picos -> toxicidade e quedas -> ineficácia), evitam o metabolismo gastrointestinal e a primeira passagem no fígado, proporcionam conveniência e adesão (aplicação a cada 06/12 meses), personalização do tipo e da dose dos implantes, entre outras.
Os implantes são colocados em consultório médico, na região glútea com anestesia local. Procedimento seguro e rápido.
Vale lembrar que todos esses medicamentos existem em outras formas de administração, como a via oral, intramuscular, via vaginal e a transdérmica (adesivos e gel) e utiliza-las na forma de implantes é uma decisão entre o médico e o paciente realizado após uma boa avaliação clínica e laboratorial.
Não existe a melhor via de administração, existe aquela que é a mais adequada para cada perfil de paciente.
Tendo em vista as várias vantagens dos implantes, esta é uma via de administração que vem crescendo cada vez mais.
Cabe a nós médicos, como em tudo na medicina, prescrever qualquer medicamento respeitando as indicações e contra-indicações de cada paciente. O que nós queremos é melhorar a saúde e qualidade de vida de cada um e para isso todo tratamento tem que ser bem avaliado e individualizado!

Mais artigos de Drª. Cristina de Boit