MEU FILHO RONCA, E AGORA?

MEU FILHO RONCA, E AGORA?

Compartilhe:

Não há motivos para pânico, mas, se persistir, é necessário procurar ajuda profissional!


O ronco é tão comum entre crianças e adultos que muitos pais o consideram normal, entretanto, o ronco é um sintoma de fluxo aéreo turbulento resultante de vários graus de obstrução de vias aéreas.
Se a criança está roncando, certamente tem algo errado. Quando o ronco acompanha os resfriados ou gripes e logo vai embora, não há motivo para preocupação. O mesmo se pode afirmar para o ronco que surge nas crises de rinite e desaparece após o tratamento, porém, se o ronco persistir por meses, ou se estiver frequentemente incomodando a criança ou sua família, será necessária uma avaliação bastante cuidadosa.
O ronco é um sinal de que o ar está passando com dificuldade pelo nariz e pela garganta e se esse processo persistir por meses, a criança vai acabar se adaptando e passará a respirar pela boca, pois esse se tornou o caminho mais fácil.
As crianças começam a respirar pela boca e ficam com os lábios entreabertos e com os dentes expostos. Os lábios e a boca tornam-se ressecados, podendo ocorrer maior incidência de doenças bucais. A garganta também pode ficar irritada e doer ao falar e ao engolir. O posicionamento da língua se modifica durante a respiração feita pela boca, e esta alteração associada a postura dos lábios, promove mudanças na estrutura óssea do palato, o “céu da boca”, tornando-o profundo. A arcada dentária se desenvolve pouco e os dentes ficam mal posicionados. A face se torna mais alongada, modificando a estética, o que pode se tornar um problema para a criança e seus pais. O rosto da criança se torna menos expressivo, dando a impressão de ela estar mais sonolenta e triste.
Entre outras alterações, principalmente nas crianças, que tem privação de sono causada pelo ronco, podemos citar as que interferem na qualidade de vida, comportamento e capacidade cognitiva. Além disso, os distúrbios obstrutivos de sono devido, por exemplo, uma hipertrofia de adenoide e amígdalas pode contribuir para enurese noturna, menor estatura, disfagia, distúrbios de fala e distorções, inclusive hiponasalidade, rinorreia crônica e otite média secretora.
O ronco pode ainda causar privação de sono e estresse emocional para os pais, que permanecem acordados toda a noite para lidar com os problemas do filho.
O diagnóstico e tratamento adequados são importantes para a saúde e para uma melhor qualidade de vida dessas crianças e seus pais.

Outros artigos

SERÁ O MAL DO SÉCULO?
DIABETES