SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL

SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL

Compartilhe:

Sintomas, tratamentos e causa

A Síndrome do Intestino Irritável é uma doença funcional comum do trato digestório, crônica, que afeta os intestinos grosso e delgado e que exige acompanhamento médico no longo prazo.
Esta desordem gastrointestinal funcional é caracterizada por dor, desconforto abdominal e alterações do hábito intestinal. Sensações de desconforto (inchaço), distensão abdominal e defecação desordenada são características geralmente associadas.
O impacto da SII varia em cada indivíduo. Em alguns casos os sintomas podem comprometer a qualidade de vida e as atividades diárias do paciente.

CAUSAS

As causas são complexas e não bem esclarecidas. Um fator cada vez mais em destaque são as alterações da microbiota (flora) intestinal. Tais modificações desencadeiam uma série de consequências como aumento da permeabilidade intestinal e das células inflamatórias na parede do intestino, alterações de motilidade e secreções intestinais e, principalmente, modificação da comunicação do intestino com o cérebro, o chamado eixo cérebro-intestino, o que explica como fatores psicológicos podem interferir nesta doença.
Alterações na sensibilidade intestinal, densidade de várias substâncias neurotransmissoras também são identificáveis.

SINTOMAS

Sintomas de caráter crônico e recorrente como:
? Dor abdominal
? Alteração da frequência e da consistência das fezes (diarreia ou constipação)
Outros sintomas:
? Flatulência excessiva
? Distensão abdominal
? Sensação de evacuação incompleta
? Muco nas fezes
? Dor no estômago
? Digestão lenta
? Náuseas
Os sintomas podem ser agravados pelo estresse e alimentação.

CLASSIFICAÇÃO da SII:

SII com predominância de diarreia
SII com predominância de constipação
SII forma mista ou alternante
SII forma indeterminada

DIAGNÓSTICO

O médico especialista avalia o paciente como um todo e considera a presença de sintomas comuns da SII como dor abdominal crônica ou recorrente e alterações no hábito intestinal (diarreia, constipação e alternância entre constipação e diarreia).
O diagnóstico é obtido pela história clínica do paciente e solicitado exames de imagem e laboratoriais, a fim de afastar doenças orgânicas para abordagem devida.
Pacientes jovens, sem sinais de alarme, geralmente não necessitam de exames complementares.

TRATAMENTO

A estratégica terapêutica sempre será individualizada e estará embasada na natureza e gravidade dos sintomas clínicos.
Procure seu médico gastroenterologista para maiores informações e tratamento adequado.

Outros artigos

SERÁ O MAL DO SÉCULO?
DIABETES