VOCÊ SABE O QUE É SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS?

VOCÊ SABE O QUE É SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS?

Compartilhe:

Fique atenta aos sintomas!

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é uma condição clínica que atinge cerca de 10% das mulheres na idade reprodutiva.
A SOP é um distúrbio caracterizado por anovulação crônica, que é a dificuldade de ovular, consequente a um meio endócrino desordenado que leva a um quadro de hiperandrogenismo (aumento dos androgênios – hormônios sexuais masculinos).
As principais manifestações clínicas estão associadas a distúrbios menstruais como irregularidade menstrual, acne, aumento de pelos, pele oleosa, infertilidade - frequentemente associados à alteração no metabolismo como resistência insulínica - aumento de peso e aumento do risco cardiovascular.
Portanto, a SOP tem que ser encarada como um distúrbio complexo, similar à doença cardiovascular e a diabetes melito tipo 2, em que inúmeras variantes genéticas e fatores ambientais interagem, combinam e contribuem para a fisiopatologia.
O diagnóstico da SOP é dado quando existe um quadro de hiperandrogenismo clínico ou laboratorial, associado a distúrbios menstruais e/ou presença de ovários policísticos na ultrassonografia, sendo descartadas outras causas de hiperandrogenismo. É importante ressaltar, que a presença de ovários policísticos na ultrassonografia, sem as outras manifestações clínicas, não pode ser confundida com a SOP.
A apresentação clínica da SOP pode variar muito, portanto seu tratamento deve ser individualizado no intuito de melhorar as alterações endócrinas e diminuir as manifestações clinicas conforme as queixas e os riscos de alterações metabólicas apresentadas por cada mulher.
O tratamento depende do objetivo da paciente, se é tratar o distúrbio endócrino e suas consequências ou desejo de gestar. São de primordial importância, já que se trata de um distúrbio complexo, mudanças de hábitos de vida como uma dieta bem equilibrada visando impedir picos de insulina e atividade física regular. A perda de 5% a 10 % do peso corporal têm uma impacto importante na melhora de regularidade dos ciclos e melhora da fertilidade.
O tratamento medicamentoso passa por uso de anticoncepcional combinado, medicações para controle da acne, do hirsutismo e controle da resistência insulínica, quando estiver presente.
Neste intuito, é muito importante que a paciente e o ginecologista não abordem somente as queixas e distúrbios relacionados ao ciclo menstrual e sintomas da paciente, sendo fundamental identificar as portadoras de SOP com maior risco de resistência insulínica/ Síndrome metabólica para prevenção de suas consequências.
Uma equipe multidisciplinar com psicólogo, nutricionista, educador físico e médico deve compreender a paciente portadora de SOP de forma holística para que além do controle dos sinais e sintomas possa se prevenir as consequências a longo prazo do mau controle da Síndrome.

 

 

Mais artigos de Drª. Túlia Kleveston