OBESIDADE X CIRURGIA BARIÁTRICA

OBESIDADE X CIRURGIA BARIÁTRICA

Compartilhe:

A obesidade é considerada uma doença crónica, multifatorial de prevalência crescentes corresponde atualmente, um problema de saúde pública.
A obesidade aumenta o risco de inúmeras doenças crónicas, como Diabetes Mellitus, dislipidemia, hipertensão arterial, apneia do sono, doenças articulares, câncer, infertilidade, etc.
Pacientes obesos graves têm um risco aumentado e expressivo de mortalidade porque a obesidade mórbida é uma das doenças que mais matam no mundo.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), classifica- se a obesidade considerando-se o Índice de Massa Corporal (IMC) e baseando-se no risco de mortalidade independente do sexo e idade. Quanto a gravidade, a OMS define obesidade classe l quando IMC situa-se entre 30 a 34,9 kg/m2, obesidade classe ll quando o IMC está entre 35 e 39,9kg/m2 e obesidade classe lll (mórbida) quando o IMC ultrapassa 40 kg/m2.
A abordagem terapêutica do paciente obeso deve envolver sempre um plano de reeducação alimentar, atividade física e uso de agentes antiobesidade. Nos pacientes que apresentam obesidade mórbida a abordagem clínica geralmente é ineficaz e a cirurgia bariátrica se impõe como uma importante opção de tratamento.
É importante ressaltar, que a cirurgia não cura a obesidade, tendo em vista que esta corresponde a uma doença crónica e portanto incurável. A cirurgia apenas controla o excesso de peso que associada ao empenho e disciplina do paciente no seguimento das orientações da equipe multidisciplinar como dieta, atividade física, na grande maioria dos casos alcança o sucesso.

Mais artigos de Dr. Marcos Eduardo Mezzomo

Pedra na Vesícula